Internacional/ Mundo

 
Vulcão causa transtorno aéreo na Europa

 

Por Luana Freitas

No mês de abril, um vulcão em erupção sob a geleira Eyjafjallajokull, na Islândia, começou a emitir uma nuvem de cinzas. Esta é a origem do caos aéreo que se implantou em toda a Europa causando reflexos em todo o mundo. Cancelamentos de vôos e transtornos nos aeroportos foram algumas das consequências ocorridas devido a temores de que a nuvem de fumaça, que está se deslocando, possa prejudicar os motores de aviões e a visibilidade. 

As cinzas vulcânicas são abrasivas, podendo danificar superfícies aerodinâmicas e paralisar os motores de aviões. Também podem danificar os para-brisas e os componentes eletrônicos das espaçonaves. Os fechamentos mais recentes suscitaram novas críticas à maneira como as autoridades do tráfego aéreo estão lidando com a situação. 

Após muitos transtornos, Itália e Alemanha reabriram seu espaço aéreo, mas as restrições aos voos foram mantidas em partes de Portugal, Espanha, Áustria e Reino Unido. O maior fechamento até agora começou em 15 de abril e durou quase uma semana, levando ao cancelamento de cerca de 100 mil vôos. Milhões de passageiros não puderam viajar, o que causou prejuízos de mais de US$ 1,7 bilhão às companhias aéreas.   

Imagem de satélite divulgada pela Nasa mostra rastro de fumaça expelido pelo vulcão islandês Eyjafjallajokull

As companhias aéreas europeias estão começando a contabilizar os prejuízos causados pela nuvem de cinzas, em termos de números de passageiros. A Air France disse que perdeu quase um quarto de seus passageiros europeus em abril devido ao fechamento do espaço aéreo, provocando queda de 16% no tráfego total. 

A companhia francesa reiterou que cada dia em que precisa suspender seus voos completamente reduz seus resultados operacionais líquidos em 35 milhões de euros. A Lufthansa disse que perdeu quase 200 milhões de euros em abril devido às cinzas vulcânicas. 

Além de causar um imenso caos aéreo na Europa, a nuvem também provocou mal-estar em um piloto da Air France que voava para Paris. O mesmo afirmou ter sentido um cheiro muito forte de enxofre na cabine. Apesar de ter provocado o mal-estar no piloto, os passageiros do mesmo voo não tiveram queixas.   

Vulcão em erupção na Islândia provoca caos no sistema aéreo europeu

Outra consequência do fenômeno foi o superfaturamento dos taxistas. Em Paris, um taxista fechou a corrida com um casal de brasileiros até Lisboa por R$1.400! O percurso era de 1.850km até a cidade francesa. Outros indivíduos também fizeram o mesmo e optaram por uma viagem de táxi até outra cidade, evitando mais atraso aos compromissos. 

_____________________________________________ 

Entenda a crise na Grécia

 

Por Luana Freitas

 

A crise financeira da Grécia, país de apenas 11 milhões de habitantes, pode ter profundas implicações para a economia mundial e para a União Europeia. 

Há temores de que um agravamento da crise leve a um eventual calote da dívida grega e que países como Portugal, Itália, Espanha e Irlanda acabem seguindo pelo mesmo caminho. 

A dívida do país está em torno de 300 bilhões de euros (equivalente a R$ 700 bilhões) e parte desse montante – cerca de US$ 12,5 bi – vence no dia 19 de maio. 

Gregos protestam em frente ao Parlamento

  

Para honrar seus compromissos, a Grécia deve receber, ao longo de três anos, um pacote de cerca de 110 bilhões de euros (aproximadamente US$ 143 bilhões). Mas, para conseguir esse empréstimo, o governo grego precisará cortar gastos e aumentar impostos. 

Veja algumas perguntas e respostas que ajudarão a entender a crise grega: 

Por que a Grécia está nessa situação? 

A Grécia gastou bem mais do que podia na última década, pedindo empréstimos pesados e deixando sua economia refém da crescente dívida. O país estava completamente despreparado quando chegou a crise global de crédito em 2009. O montante da dívida deixou investidores relutantes em emprestar mais dinheiro ao país. Hoje, eles exigem juros bem mais altos para novas somas. Essa situação é particularmente preocupante, porque a Grécia depende de novos empréstimos para refinanciar mais de 50 bilhões de euros em dívidas neste ano. 

Por que a situação causa tanta preocupação fora da Grécia? 

Todo mundo na zona do euro – e qualquer um que negocie com a zona do euro – é afetado por causa do impacto da crise grega sobre a moeda comum europeia. Teme-se que os problemas da Grécia nos mercados financeiros internacionais provoquem um efeito dominó, derrubando outros membros da zona do euro cujas economias estão enfraquecidas, como Portugal, Irlanda, Itália e Espanha. Todos eles enfrentam desafios para reequilibrar suas contas. 

O que a Grécia está fazendo para reverter a crise? 

A Grécia apresentou planos para cortar seu déficit para 8,7% em 2010, e para menos de 3% até 2012. O governo quer congelar os salários do setor público e aumentar os impostos. Anunciou, ainda, o aumento do preço da gasolina. O governo pretende aumentar a idade para a aposentadoria em uma tentativa de economizar dinheiro no sistema de pensões. 

Até que ponto a crise na Grécia afetará o mundo? 

____________________________________________

 

 

Escândalos de pedofilia abalam Igreja Católica

 

O Vaticano enfrenta nos últimos meses uma série de escândalos de abusos sexuais.

A Igreja Católica na Áustria quebrou o silêncio e lamentou os casos de pedofilia praticados em suas instituições. 30 casos que aconteceram há décadas ainda estão para ser investigados. No mês de março passado, o arcebispo responsável pelo Mosteiro de Salzburgo decidiu deixar o cargo, depois de admitir que abusou de uma criança há 40 anos.

Já na Holanda, os bispos pediram uma comissão independente para investigar 350 denúncias. Antigos alunos de escolas católicas afirmam terem sido vítimas de abusos sexuais de padres e freiras nos anos 50, 60 e 70.

Na Alemanha, 18 das 27 dioceses católicas no país estão sob investigação. Entre os escândalos denunciados está o de abusos no coral de crianças que era dirigido pelo irmão do atual papa, o bispo Georg Ratzinger. Há dez anos, o papa João Paulo II também fez um pedido de desculpas a vítimas de abusos cometidos por padres. Na época, era a igreja dos Estados Unidos quem sofria com uma série de denúncias que colocaram as suas contas no vermelho, após o pagamento de indenizações milionárias. O escândalo também pode desmoralizar o pontificado de Bento XVI, considerado um religioso “linha-dura” em questões de moral e comportamento. Durante os anos de João Paulo II, o futuro papa, então cardeal Ratzinger, era o prefeito da Congregação para Doutrina da Fé, o antigo Tribunal do Santo Ofício.

Papa

Papa Bento XVI saúda embaixadores no Vaticano; onda de escândalos sexuais está cada vez mais perto do chefe da Igreja Católica. Reuters

 

Uma pesquisa de opinião divulgou que a maioria dos alemães não confia mais na Igreja Católica, e 1/4 dos católicos do país pensa em deixar a instituição após a divulgação dos recentes escândalos de abuso sexual envolvendo o clero.

 

escandalo na igreja

Estudantes caminham em monastério de Ettal, na Alemanha; escândalo sexual atingiu tradicional colégio católico. Johannes Eisele/Reuters

 

Até o presente momento, 3.000 padres – em relação a um total de 42 mil clérigos – têm sido objetos de processos judiciários por abusos sexuais que foram cometidos, em sua maior parte, entre 1960 e meados dos anos 1980. Ao longo de muitos anos, os bispos se limitaram a transferir os padres quando tomaram conhecimento de que estes eram suspeitados ou culpados de práticas pedófilas. Em vez de serem entregues para a Justiça, estes eram enviados para centros de retiro e de oração.

Os escândalos sexuais desgastam a instituição e causam a perda de confiança de muitos fiéis. Além disso, as denúncias custam muito dinheiro, devido ao pagamento de indenizações às vítimas.

 

 

 

Maré negra é o maior desastre ecológico dos EUA

 

No dia 22 de abril, a plataforma Deepwater Horizon explodiu e afundou no Golfo do México, provocando um vazamento de dois a três milhões de litros por dia desde então.

A companhia British Petroleum (BP) se prepara para tentar novamente conter o derramamento de petróleo no Golfo do México, que só solucionará parcialmente, o que a Casa Branca já considera como sendo o pior desastre ecológico da história dos Estados Unidos.

A primeira tentativa de contenção do vazamento foi fracassada. O “top kill” foi uma tentativa de sufocar o fluxo com uma injeção de lama pesada. A nova estratégia prevê serrar, com submarinos robôs, o encanamento rompido de onde sai o petróleo e cobrir o resto com o que é basicamente um gigantesco funil, através do qual se passaria o óleo a navios na superfície.

O Governo federal, a BP e os estados atingidos pela maré negra já falam abertamente que o vazamento pode durar até agosto, quando estarão completos os dois poços alternativos que estão sendo perfurados e que aparecem agora como a única solução definitiva para conter o problema.

Segundo a assessora da Casa Branca, Carol Browner, o Governo “está preparado para o pior”, esperando que nenhum dos métodos de contenção funcione.

                              

encendio

Plataforma de petróleo que explodiu e pegou fogo na costa de Louisiana. Foto: AP

                                                       

O diário “The New York Times” publicou que a BP já tinha, desde o ano passado, preocupações sobre a segurança do poço, em particular com a válvula que deveria fechá-lo em caso de acidente – que não funcionou em abril –, período em que ocorreu o início do vazamento. Os documentos internos da empresa British Petroleum mostram que houve sérios problemas com relação à segurança da plataforma muito mais cedo do que os descritos pela empresa ao Congresso americano. Em março, após várias semanas de problemas no equipamento, a BP lutava contra uma “perda de controle” do poço. E há 11 meses, já havia a preocupação com o revestimento do local de exploração.

 

 

 

 

_________________________________________________________ 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: